Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Cúpula no Egito busca trégua a longo prazo na Faixa de Gaza

Países europeus se reúnem com governo egípcio para discutir a reconstrução do território palestino

Agências internacionais,

18 de janeiro de 2009 | 10h22

A cúpula que acontece neste domingo, 18, no Egito, tenta ajudar o governo egípcio a transformar o cessar-fogo unilateral de Israel sobre a Faixa de Gaza em um mútuo acordo que leve à retirada absoluta das forças israelenses, segundo afirmaram autoridades do Cairo. Os líderes do Reino Unido, Egito, França, Alemanha, Itália e Turquia, junto com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, se encontram na cidade de Sharm el-Sheikh para coordenar políticas sobre o conflito palestino, depois de três semanas de enfrentamentos,   O Exército de Israel afirmou que aviões israelenses atingiram os militantes palestinos que dispararam um total de 10 foguetes contra Israel neste domingo, horas depois de o país declarar um cessar-fogo unilateral na sua guerra contra o Hamas. Segundo os militares, os foguetes disparados pelos militantes atingiram a região sul de Israel, mas não deixaram feridos. Mais cedo, um tanque israelense abriu fogo contra um homem armado na Cidade de Gaza, quando tropas eram alvo de ataques horas após o cessar-fogo ser iniciado, informou o Exército.   O primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, recebe também em Jerusalém os chefes de Estado numa tentativa de escorar o cessar-fogo na Faixa de Gaza com a ajuda destes países contra o contrabando de armas para o Hamas. Com exceção do primeiro-ministro tcheco, Mirek Topolanek - também presidente rotativo da União Europeia -, todos os outros cinco líderes europeus chegarão a Israel entre 18h30 e 19h (14h30 e 15h de Brasília), vindos do balneário egípcio de Sharm el Sheikh, onde participarão de uma cúpula para a reconstrução de Gaza. Como o primeiro-ministro israelense, Ehud Olmert, não foi convidado para a cúpula no Egito, Israel vê a visita dos seis chefes de Estado ou de governo da Europa como "uma possibilidade para expressar" seu ponto de vista após os acontecimentos em Gaza nas últimas semanas, acrescentaram as fontes.   "Existem algumas violações. O objetivo agora é consolidar o cessar-fogo para que seja possível alcançar uma trégua a longo prazo", afirmou Hossam Zaki, porta-voz do ministro egípcio de Relações Exteriores. Os diplomatas europeus também disseram que os líderes de seus governos ofereceram apoio político aos esforços egípcios para mediar um acordo entre Israel e o grupo militantes Hamas, que já afirmou que continuará os confrontos enquanto as tropas israelenses continuarem no território palestino controlado pela milícia. A decisão de declarar um cessar-fogo unilateral foi um golpe na mediação do Egito, mas o presidente Hosni Mubarak afirmou no sábado que o país continuará seus esforços diplomáticos.   O porta-voz da chancelaria egípcia afirmou que os líderes querem discutir como ajudar a evitar que se repita o conflito na Faixa de Gaza, que já causou a morte de mais de 1.300 palestinos. Dez soldados israelenses morreram em combate de três civis foram vítimas de foguetes durante o conflito de três semanas.   Vários dos países participantes, incluindo Reino Unido, França e Alemanha, se ofereceram para enviar aparato militar ao Oriente Médio para ajudar a evitar que o Hamas receba carregamentos de armas. O fim do contrabando é uma das exigências israelenses para encerrar o conflito.Em Sharm el-Sheikh, não são esperados israelenses nem palestinos, já que as conversas de governos europeus com o Hamas e o Fatah perderam terreno por sua incapacidade de modificar a conduta de Israel durante a ofensiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.