Deportações de afegãos do Irã chega a 160 mil--ONU

O Irã deportou 160 mil afegãos queestariam vivendo ilegalmente no país desde abril, mas o ritmode expulsões diminuiu "drasticamente" para cerca de 1.000 nosúltimos dias, informou uma autoridade da Organização das NaçõesUnidas nesta segunda-feira. Apesar de apelos do Afeganistão para conter as deportações,o Irã lançou uma grande campanha em 12 de abril para reunirtrabalhadores afegãos ilegais e enviá-los de ônibus para suaterra natal. Eles são estimados em 1 milhão. Mas Judy Cheng Hopkins, do alto comissariado da ONU pararefugiados, disse que o número de pessoas retornando caiu desdeque a agência de refugiados da entidade expressou preocupação,em maio, sobre a maneira como o processo de deportação érealizado. "Este número foi reduzido drasticamente", disse ela em umacoletiva de imprensa em Teerã após visita ao Irã, Afeganistão ePaquistão. "Talvez tenha havido pouco mais de mil deportadosnos últimos dias." Após o vizinho Paquistão, o Irã recebe o maior número deafegãos que saíram de seu país durante três décadas de conflito--cerca de dois milhões de pessoas. Muitos trabalham nossetores de construção e de trabalho doméstico. Mas o Irã diz que metade deles entrou ilegalmente e serãodeportados. O governo afegão, que luta para combater ainsurgência, pediu para o Irã suspender as repatriações por nãoter recursos para assentá-los.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.