Detentos fazem rebelião e causam incêndio em Abu Ghraib

Guardas pediram reforços de soldados e helicópteros dos EUA; 3 funcionários e 3 prisioneiros ficaram feridos

Associated Press e Reuters,

11 de setembro de 2009 | 09h46

Um grupo de detentos da prisão de Abu Ghraib, no Iraque, iniciou um incêndio e atacou guardas, que pediram reforços de soldados iraquianos e helicópteros dos Estados Unidos, disseram os militares norte-americanos nesta sexta-feira, 11. A rebelião começou quando três presos puseram fogo em sua cela, na quinta-feira, e tentaram dominar alguns guardas, em uma aparente tentativa de fuga, segundo um porta-voz.

 

As autoridades da prisão pediram ajuda aos militares iraquianos, para sufocar o motim dentro da prisão, enquanto os helicópteros dos EUA monitoravam os arredores. As autoridades iraquianas registraram três guardas e três prisioneiros feridos, antes da situação se controlar, informou o porta-voz.

 

Já uma parlamentar iraquiano, Shatha al-Aboussi, afirmou que dois prisioneiros morreram no motim e que a violência voltou a ocorrer nesta sexta-feira. Segundo ela, uma integrante do comitê de direitos humanos do Parlamento, prisioneiros conseguiram pegar um fuzil e queriam deixar o local.

 

A prisão de Abu Ghraib ficou famosa em 2004, com a divulgação de fotos nas quais soldados norte-americanos abusavam de prisioneiros. Agora, está de novo sob controle iraquiano. Onze soldados dos EUA foram condenados por delitos cometidos na prisão.

 

Autoridades iraquianas pretendem manter apenas uma parte das dezenas de milhares de prisioneiros que estiveram lá durante o governo de Saddam, e prometeram melhorar as condições.

Tudo o que sabemos sobre:
Iraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.