Dezenas de milicianos do Fatah al-Islam morrem em tentativa de fuga

Radicais estão entrincheirados no campo de Nahr al-Bared desde 20 de maio

Efe,

02 de setembro de 2007 | 05h08

Dezenas de milicianos radicais do grupo Fatah al-Islam morreram ou foram detidos neste domingo, 2, ao tentar fugir do campo de refugiados de Nahr al-Bared, norte do Líbano, onde estão entrincheirados desde 20 de maio, disse à agência Efe um porta-voz do Exército. Embora ainda não tenha sido divulgado um número oficial de vítimas, a imprensa libanesa afirma que as tropas mataram pelo menos 20 "jihadistas" sunitas e detiveram outros dez. Segundo a rádio "Voz do Líbano", o Exército libanês pode anunciar nas próximas horas o fim dos combates. Os milicianos tentaram escapar com a ajuda de um comando do exterior, composto por cerca de cinco ou seis pessoas, acrescentaram as fontes à Efe. O Exército libanês está à procura dos combatentes islamitas que tenham conseguido fugir, o que levou ao fechamento da estrada que leva à Síria. "Continuaremos a batalha até obter sua rendição total", acrescentou o porta-voz militar. No entanto, segundo informou a emissora de TV "Al Jazera", o líder do Fatah al-Islam, Chaker al-Absi, conseguiu escapar do cerco, informação que não foi confirmada pelo comando militar. O Exército libanês divulgou neste domingo um comunicado no qual insta à população a cooperar e denunciar qualquer combatente islamita do grupo que tenha conseguido escapar e infiltrar-se entre os civis. Os milicianos do Fatah al-Islam permanecem entrincheirados em um reduzido espaço no interior do campo desde que os soldados libaneses conseguiram avançar e tomar o controle de Nahr al-Bared após dois meses e meio de combates ferozes, nos quais morreram 153 militares.

Tudo o que sabemos sobre:
Fatah al-IslamNahr al-Bared

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.