Diálogo por troca de prisioneiros está paralisado, diz Hamas

Palestinos culpam interferência de Netanyahu por estagnação em processo que envolve soldado Gilad Shalit

Reuters,

02 de fevereiro de 2010 | 09h31

Um alto dirigente do Hamas disse nesta terça-feira, 2, que as negociações indiretas com Israel sobre uma troca de prisioneiros que envolveriam o soldado israelense Gilad Shalit estão paralisadas e que o fato se deve à resistência do premiê Benjamin Netanyahu.

 

Em entrevista ao canal BBC, Mahmoud al-Zahar explicou a atual situação das conversas. "O principal motivo é que, após a interferência dos agentes políticos, particularmente de Netanyahu, houve uma grande retração e regressão. Por isso, as negociações estão paradas", detalhou o dirigente.

 

No mês passado, um funcionário do governo israelense disse que o primeiro-ministro israelense assumiu uma postura mais dura nas negociações mediadas pela Alemanha sobre a troca de cerca de mil prisioneiros palestinos pelo soldado Gilad Shalit.

 

Al-Zahar disse que Israel exigiu que alguns dos palestinos libertados teriam de ser deportados após deixarem as prisões israelenses. O Hamas teria aceitado exilar alguns deles, mas disse querer escolher seus destinos, segundo dirigentes próximos das negociações.

 

Como um direitista, Netanyahu enfrenta um dilema sobre libertar ou não palestinos que poderiam voltar a cometer crimes futuramente. O premiê, entretanto, também é pressionado para obter a soltura do soldado israelense.

 

Shalit foi capturado em 2006 por militantes do Hamas. O soldado foi levado para a faixa de Gaza através de um túnel. No ano passado, o Hamas divulgou um vídeo no qual o soldado aparecia saudável e segurando um jornal com a data da época, uma prova de que estava vivo, conforme o governo de Israel havia demandado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.