'Dias de Assad estão contados', diz chefe da Liga Árabe a jornal

O chefe da Liga Árabe, Nabil Elaraby, afirmou que o governo sírio do presidente Bashar al-Assad está com seus dias contados, segundo entrevista publicada no jornal pan-árabe Al-Hayat, na terça-feira.

Reuters

24 de julho de 2012 | 09h45

Falando após uma reunião da Liga Árabe, que pediu para Assad renunciar, o secretário-geral Elaraby também disse que o tempo para falar sobre reforma política acabou.

"Agora não há discussões sobre reforma política, mas sobre transferência de poder", disse.

Ministros da Liga Árabe que se reuniram em Doha no domingo pediram para que Assad abandonasse o poder, acrescentando que a Liga Árabe iria ajudar a fornecer uma saída segura para ele e sua família.

Questionado sobre quanto tempo o governo de Assad poderia sobreviver, Elaraby disse para o al-Hayat: "Não posso definir um período, mas o regime não pode continuar por um longo tempo."

Conforme definido pelas resoluções da Liga Árabe, adotadas no domingo, Elaraby disse que em breve irá viajar para a China e Rússia com o primeiro-ministro do Catar, Sheikh Hamad bin Jassim al-Thani, que preside o comitê da Liga Árabe sobre a Síria.

China e Rússia têm usado seu poder de veto no Conselho de Segurança da ONU por três vezes para bloquear resoluções feitas para pressionar Assad e acabar com o conflito na Síria.

"Nossa mensagem para os russos será, com clareza e franqueza, que a decisão de veto que tomaram é vista como sendo contra os interesses árabes. Esperamos uma revisão do assunto, especialmente tendo em vista que eles sabem que os dias do atual regime na Síria estão contados ", afirmou.

Elaraby também pediu para a oposição síria se unir e formar um governo de transição.

(Texto de Tom Perry)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIALIGAARABEASSADSAIDA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.