Diretor da AIEA alerta contra ataques a usinas nucleares

Ameaças de ataque a usinas nuclearesdevido à suspeita de que um dia elas poderiam produzir bombaspode enfraquecer o Tratado de Não-Proliferação, disse o diretorda agência de inspeção nuclear da ONU. "A ação militar unilateral enfraquece o quadrointernacional do tratado. Estamos em um ponto críticohistórico", disse o diretor da Agência Internacional de EnergiaAtômica, Mohamed ElBaradei, à revista Der Spiegel. Uma autoridade israelense disse na sexta-feira que umataque ao Irã parecia "inevitável" pois as sanções da ONUparecem inaptas a impedir o governo de Teerã de desenvolver atecnologia nuclear com potencial de fabricação de bombas. ElBaradei disse que uma crescente ameaça à paz vem daproliferação e que a prontidão de considerar a ação militarcontra alvos nucleares é considerada suspeita. Israel e os Estados Unidos não excluem a possibilidade deum ataque ao Irã como último recurso para destruir seu programanuclear, algo que críticos, entre eles ElBaradei, dizem quepode inflamar o Oriente Médio. O aviso do oficial israelensefoi o mais explícito até agora. O Irã diz que está enriquecendo urânio somente paraeletricidade, e não para armas, e que o programa irá permanecersob monitoramento da ONU. Mas o Irã tem obstruído asinvestigações da ONU e restringido o alcance das inspeções. "A boa vontade do Irã em cooperar deixa a desejar. Temosquestões urgentes", disse El Baradei, referindo-se a relatóriosde que o Irã secretamente busca maneiras de desenvolver umaarma nuclear. Ele disse que o país islâmico, que é muito hostil a Israel,estava "mandando uma mensagem ao mundo inteiro: nós podemosconstruir uma bomba relativamente em breve". ElBaradei não comentou mais sobre isso nos trechos de suasdeclarações liberadas pelo Der Spiegel neste sábado, antes dapublicação de segunda-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.