Diversos ataques de homens-bomba matam 46 no Afeganistão

Mais de 100 pessoas ficaram feridas; três suspeitos foram presos

estadão.com.br,

14 de agosto de 2012 | 11h23

Texto atualizado às 14h50

CABUL - Pelo menos 46 pessoas morreram e quase 150 ficaram feridas em diferentes atentados perpetrados nesta terça-feira, 14, no sudoeste e no norte do Afeganistão, informaram autoridades locais.

Veja também:

link Bomba mata um prefeito afegão e outras quatro pessoas

Em Nimroz, no sudoeste afegão, pelo menos 36 pessoas morreram e 110 ficaram feridas em múltiplos atentados suicidas no decorrer do dia.

Baseado em dados de quatro hospitais de Nimroz, o secretário local de saúde, Noor Ahmad Shirzada, disse que os atentados de hoje ocorreram em diferentes partes da cidade de Zaranj. De acordo com a polícia local, a ação envolveu mais de dez homens-bomba.

Pelo menos três deles conseguiram detonar os explosivos que levavam atados a seus corpos, em um movimentado mercado de Nimroz, no que foi um dos piores ataques do tipo neste ano, segundo autoridades. O comandante da polícia de Nimroz, Musa Rasouli, disse que pelo menos três suspeitos de participação foram presos e diversos outros foram mortos antes que pudessem atacar.

Horas mais tarde, a explosão de uma motocicleta-bomba detonada por controle remoto em Kunduz, no norte do Afeganistão, provocou a morte de mais dez pessoas, informou a polícia local. A autoria do ataque foi atribuída por Lal Ahmadzai, porta-voz da polícia regional, à milícia fundamentalista islâmica Taleban.

O comandante da polícia de Kunduz, Hamid Agha, disse que o ataque ocorreu no momento em que as pessoas faziam compras para a ceia que interrompe o jejum diário dos muçulmanos durante o mês sagrado do Ramadã. Segundo ele, dos dez mortos, cinco eram crianças. Pelo menos 36 pessoas ficaram feridas.

"Os agressores explodiram-se em um mercado lotado para atingir civis, não havia nenhuma instalação do governo por perto", afirmou o governador da província, Abdul Karim Barahawi, acrescentando que o ataque ocorreu na capital provincial Zaranj.

Com Reuters, AP e Dow Jones

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãoataquehomens-bomba

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.