Dois egípcios são mortos em confronto na fronteira entre Líbia e Tunísia

Duas pessoas foram mortas a tiros quando seguranças de fronteira líbios abriram fogo para dispersar centenas de egípcios que tentavam cruzar a divisa com a Tunísia fugindo do caos crescente na Líbia, informou a agência de notícias estatal tunisiana TAP nesta quinta-feira.

REUTERS

31 de julho de 2014 | 19h40

Centenas de famílias líbias e trabalhadores estrangeiros deixaram seus lares depois de duas semanas de confrontos entre milícias líbias rivais pelo controle do aeroporto de Trípoli, o pior episódio de violência desde a revolta que depôs Muammar Gaddafi em 2011.

A maioria dos aeroportos líbios estão fechados por causa da deterioração na segurança em Trípoli e Benghazi, fazendo da fronteira com a Tunísia uma das poucas rotas de fuga para moradores e alguns diplomatas estrangeiros que querem se distanciar do banho de sangue na capital.

Centenas de egípcios protestaram no posto fronteiriço de Ras Jdir após seguranças de fronteira tunisianos fecharem seus portões nesta quinta-feira, testemunhou um repórter da Reuters no local.

"O incidente aconteceu depois que soldados líbios dispararam para dispersar os egípcios”, afirmou a TAP, citando fontes de segurança tunisianas, que disseram que as duas vítimas foram mortas a tiros.

Não houve comentário de imediato das autoridades líbias.

(Por Mohamed Argoubi)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAEGIPCIOSMORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.