Dois policiais israelenses são condenados por matar palestino

Jovem de 17 anos foi obrigado a saltar de uma caminhonete que viajava a 80 km/h, o que causou sua morte

Efe,

28 de abril de 2009 | 06h23

A Justiça israelense condenou dois agentes da Polícia de Fronteiras a oito e cinco anos de prisão por abusar e matar um jovem palestino em 2002 no distrito da cidade cisjordaniana de Hebron.

 

Shachar Butbika foi condenado a oito anos e meio de prisão e Denis al-Hazub a cinco anos e meio pelo Tribunal do Distrito de Jerusalém pelos crimes de homicídio e cumplicidade em homicídio, respectivamente, por sua participação na morte do palestino Amran abu Hamadiyah, informa nesta terça-feira, 28, o diário Ha'aretz.

 

O palestino, que tinha 17 anos, foi obrigado a saltar de uma caminhonete que viajava a 80 km/h, o que causou sua morte.

 

Os dois policiais, assim como outros dois companheiros do mesmo corpo condenados no começo do ano a oito e quatro anos de prisão, atacaram vários palestinos no dia da morte de Abu Hamadiyah.

 

Sua primeira vítima foi Alaa Sankrut, que tinha 20 anos, espancado brutalmente até a morte na mesma caminhonete. Abu Hamadiyah, que os agentes tinham parado no meio de sua viagem, foi obrigado a subir na caminhonete. Depois de ser agredido, os agentes o obrigaram a saltar do veículo em andamento quando viajavam por uma estrada asfaltada.

 

A patrulha abandonou o local sem prestar socorro à vítima, e um dos policiais gritou que o palestino "estava morto".

Tudo o que sabemos sobre:
Israelmorte de palestinoFaixa de Gaza

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.