Duplo ataque suicida mata mais de 20 pessoas no Iraque

Explosões ocorreram em Sinjar, cidade na fronteira com a Síria habitada pela minoria yazidi

Agência Estado e Associated Press,

13 de agosto de 2009 | 15h54

Pelo menos 21 pessoas morreram em um duplo ataque suicida perpetrado nesta quinta-feira, 13, no noroeste do Iraque, informaram autoridades locais. Mais de 30 pessoas ficaram feridas.

 

As explosões ocorreram por volta das 17h15 locais, em uma lanchonete repleta de jovens em Sinjar, uma cidade próxima à fronteira com a Síria, habitada principalmente por integrantes da minoria yazidi, que fala curdo.

 

Dois anos atrás, uma vila perto de Sinjar foi atingida, em um dos piores ataques insurgentes desde a invasão dos Estados Unidos, em 2003. Quatro caminhões com explosivos foram pelos ares quase simultaneamente em Qahataniya, em 14 de agosto de 2007, matando quase 500 yazidis.

 

Funcionários locais impuseram um toque de recolher. O diretor do hospital de Sinjar, Kifah Mahmoud, afirmou que havia 21 mortos, incluindo um egípcio, e 32 feridos.

 

O ataque foi o mais recente de vários nesta semana, nas proximidades de Mossul. Os militares norte-americanos qualificam essa cidade como o último bastião do Taleban no Iraque. Também foram atacados nos últimos dias xiitas turcomanos e shabaks, com mais de 120 mortos desde a última sexta-feira.

 

Em Bagdá houve uma série de ataques nos últimos dias. Mas os rebeldes na área de Mossul têm atacado sobretudo minorias, indicando que os insurgentes buscam alvos mais vulneráveis, a fim de maximizar o número de vítimas. O aumento na violência lança dúvidas sobre a capacidade de as forças locais protegerem sua população, no momento em que Washington se prepara para retirar suas tropas, até o fim de 2011.

 

Os yazidis vivem na linha territorial disputada entre curdos e árabes. Comandantes dos EUA já advertiram que a tensão entre esses dois grupos, envolvendo terras e petróleo, poderia iniciar uma nova frente de combates, apesar da diminuição da violência no país em geral.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueterrorismoterrorOriente Médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.