Egito convoca cúpula para demonstrar apoio a Abbas

Além do presidente palestino, encontro reunirá o premiê israelense, Ehud Olmert e o rei da Jordânia, Abdullah

Agências Internacionais, Agencia Estado

21 Junho 2007 | 13h10

O líder egípcio Hosni Mubarak convidou nesta quinta-feira o primeiro-ministro de Israel, Ehud Olmert, o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, e o rei Abdullah II da Jordânia para uma reunião de cúpula na próxima semana, disseram funcionários dos governos israelense e palestino. O convite para a reunião regional representa a maior demonstração de apoio feita até o momento por Estados árabes a Abbas, do movimento Fatah, em sua queda-de-braço com o grupo islâmico Hamas, que na semana passada assumiu o controle total da Faixa de Gaza. O encontro, entretanto, também deve expor a difícil situação criada com a virtual divisão dos territórios palestinos, com o Hamas controlando Gaza e o Fatah, a Cisjordânia. Depois da vitória militar do Hamas, Abbas dissolveu o governo e impôs uma administração comandada pelo Fatah na Cisjordânia. Enquanto isso, Abbas conseguiu nesta quinta-feira, 21, o endosso da Organização para a Libertação da Palestina (OLP) à sua decisão de expulsar o Hamas do governo e compor um gabinete de emergência. Saeb Erekat e Yasser Abed Rabbo, destacados assessores de Abbas, disseram que o Egito havia convidado Olmert, Abdullah e o líder palestino para uma reunião no início da próxima semana. Pouco depois, Miri Eisin, porta-voz de Olmert, disse que o encontro ocorrerá na segunda-feira no balneário egípcio de Sharm el-Sheikh. Abbas pretende pedir a retomada das negociações de paz com Israel. Segundo Erekat, somente o progresso no sentido de um Estado palestino independente é capaz de isolar o Hamas. Eisin, por sua vez, disse que os quatro participantes do encontro analisarão "formas de promover uma agenda moderada e de dar seqüência ao trato das questões entre israelenses e palestinos".

Mais conteúdo sobre:
Abbas Fatah Egito Mubarak Gaza Cisjordânia

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.