Egito detém homem acusado de casar 87 meninas

Farag Youssef Farag teria recebido grandes somas de dinheiro para aceitar documentos falsos

Efe,

16 de fevereiro de 2010 | 09h00

As autoridades egípcias detiveram um "mazun", funcionário que legaliza casamentos muçulmanos, por ter casado 87 menores do sexo feminino com documentos falsos, informa nesta terça-feira, 16, o jornal Al Shuruq.

 

Um tribunal da cidade de Sohag, 600 quilômetros ao sul do Cairo, ordenou a detenção preventiva de Farag Youssef Farag, de 53 anos, por quatro dias.

 

Farag é acusado de ter usado documentos falsos para oficializar 87 casamentos com meninas menores de idade, para o que, aparentemente, ganhou grandes somas de dinheiro. Segundo o jornal, após sua detenção, Farag admitiu ter legalizado esses casamentos.

 

O tribunal também ordenou a detenção de um funcionário do Tribunal da Família de Sohag, acusado de haver cooperado com Farag na falsificação dos documentos.

 

O casamento de menores de famílias pobres em troca de dinheiro, especialmente com árabes do Golfo Pérsico, é uma prática comum no Egito.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitocasamentoFarag Youssef Farag

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.