Egito diz que ação global é necessária para conter Estado Islâmico

Militantes do Estado Islâmico no Iraque e na Síria estão forjando alianças com outros grupos extremistas na região, afirmou o ministro das Relações Exteriores do Egito neste sábado, apoiando a chamada de Washington para uma ação global para combater a ameaça.

REUTERS

13 de setembro de 2014 | 18h38

Grupos militantes que compartilham a ideologia do Estado Islâmico e "tomam o Islã como uma cobertura" devem ser combatidos, disse Sameh Shukri em uma coletiva de imprensa conjunta com o secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, na capital egípcia.

O forte apoio público do Egito à campanha dos EUA contra o Estado Islâmico contrasta com uma resposta mista no resto da região e demonstra o quão longe Cairo chegou na restauração de seu lugar como um parceiro norte-americano no mundo árabe desde sua ofensiva autoritária e golpe militar no ano passado.

"Vamos tomar todas as medidas que se destinam a eliminar esse fenômeno por completo, seja na Líbia ou em qualquer outra parte do mundo árabe ou no continente africano em particular", disse Shukri.

A chamada do Egito para a ação internacional dá impulso necessário para a investida de Kerry de arregimentar apoio global para o plano do presidente Barack Obama de atacar ambos os lados da fronteira sírio-iraquiana e derrotar combatentes sunitas do Estado Islâmico.

(Por Jason Szep e Shadi Bushra)

Mais conteúdo sobre:
ORMEDEGITOESTADOISLAMICO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.