Egito diz que 'quebrará as pernas' de palestinos na fronteira

Ministro culpa Israel por crise na Faixa de Gaza e afirma que o país não vai tolerar novas violações da divisa

Efe,

08 de fevereiro de 2008 | 10h28

O ministro de Assuntos Exteriores egípcio, Ahmed Aboul Gheit, disse nesta sexta-feira, 8, que a polícia "quebrará as pernas" de quem burlar as fronteiras de seu país, em referência aos palestinos que abriram buracos na fronteira com o país, em Rafah, há duas semanas."Qualquer um que violar as fronteiras do Egito terá as pernas quebradas", disse Aboul Gheit em uma entrevista à televisão pública egípcia, publica a imprensa independente. "Não serão toleradas violações das fronteiras do Egito", acrescentou.O chefe da diplomacia egípcia lançou a mensagem depois que centenas de milhares de palestinos atravessaram a fronteira entre o Egito e a Faixa de Gaza pela passagem de Rafah durante onze dias.A cerca fronteiriça foi dinamitada por homens armados na noite de 22 para 23 de janeiro, a fim de permitir que os palestinos da Faixa de Gaza cruzassem a fronteira para adquirir suprimentoe e produtos básicos que não chegam ao território, em conseqüência do bloqueio imposto por Israel.Aboul Gheit culpou Israel pela crise humanitária na Faixa de Gaza e rejeitou o "castigo coletivo" aos palestinos devido aos foguetes lançados sobre Israel a partir deste território palestino. Ele também acusou o Hamas de disparar os foguetes, e descreveu o confronto entre as duas partes como "uma caricatura irrisória".Além disso, o diplomata revelou que o governo egípcio está negociando com Israel um aumento no número de guardas fronteiriços egípcios que, segundo o tratado de paz de 1979 entre os dois países, são permitidos na fronteira.

Mais conteúdo sobre:
EgitoGazaIsrael

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.