Egito e Hamas retomam negociações para cessar-fogo em Gaza

Representantes do grupo militante reiteraram a rejeição pelo envio de forças internacionais para as fronteiras

Efe,

11 de janeiro de 2009 | 14h17

As autoridades egípcias e uma delegação do Hamas retomaram neste domingo, 11, as conversas ara um cessar-fogo na Faixa de Gaza, que pelo 16º dia é alvo de ataques do Exército de Israel. Fontes ligadas às negociações disseram à Agência Efe que os representantes do Hamas, entre os quais há líderes do grupo em Gaza e em Damasco, reiteraram sua rejeição ao envio de uma força internacional na fronteira entre o Egito e a faixa territorial. Veja também:Defesa de Israel diz que ofensiva em Gaza está próxima do fimTroca de tiros e ataques na Faixa de Gaza mata pelo menos 26Ofensiva deve continuar até atingir objetivo, diz OlmertIsrael e Hamas prometem seguir com a luta na Faixa de GazaEmbaixador brasileiro no Egito fala da negociação entre Hamas e Egito  Correspondente do 'Estado' fala sobre o conflito Especial traz mapa com principais alvos em Gaza Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  Veja imagens de Gaza após os ataques     Os negociadores egípcios, liderados pelo chefe dos serviços secretos, o general Omar Suleiman, concordaram com os dirigentes do movimento palestino nesse ponto, acrescentaram as fontes. Na última quinta-feira, o Hamas rejeitou a proposta egípcia para o fim das hostilidades em Gaza. Porém, ainda há negociações em curso entre as duas partes com o mesmo propósito. A proposta egípcia incluía uma trégua por um período determinado e a abertura dos postos fronteiriços para que a população palestina de Gaza pudesse receber assistência humanitária. Além disso, estabelecia negociações para a suspensão do bloqueio imposto à região há um ano e meio, garantias para evitar um agravamento do conflito e passos para a reconciliação dos movimentos palestinos. Na noite de sábado, o líder máximo do Hamas, Khaled Mashaal, impôs uma série de condições para aceitar um cessar-fogo na Faixa de Gaza. Além disso, afirmou que não aceitará nenhum acordo de paz enquanto a ocupação israelense continuar. A delegação do Hamas que negocia no Egito é composta por Imad al-Alami e Mohammed Masr, que chegaram ontem ao Cairo procedentes de Damasco e que se uniram neste domingo a Aiman Taha, porta-voz do Hamas em Gaza, Jamal Abul Hasen e Salah al-Bardawil. A primeira rodada de negociações entre o Hamas e os representantes egípcios começou no sábado, mas não foram divulgadas informações sobre os resultados da conversa. Nas próximas horas, é esperada a chegada de uma delegação de Israel liderada pelo conselheiro do Ministério da Defesa, Amos Gilad, informaram à Efe fontes de segurança egípcias, que não deram mais detalhes desta visita. O site do jornal israelense Ha'aretz antecipou neste domingo essa viagem de Gilad ao Cairo e informou que o representante israelense deve se reunir com o chefe dos serviços de segurança do Egito. Segundo fontes políticas citadas pela publicação israelense, Gilad só recebeu instruções para analisar com as autoridades egípcias um mecanismo para evitar o contrabando de armas na fronteira entre Egito e Gaza.

Tudo o que sabemos sobre:
HamasIsraelFaixa de GazaGazaEgito

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.