Egito propõe que ANP patrulhe fronteiras da Faixa de Gaza

Objetivo seria combater o contrabando de armas, como parte do acordo para acabar com guerra

Agências internacionais,

10 de janeiro de 2009 | 12h56

O Egito propôs que uma força palestina leal ao presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, seja enviada para a fronteira da Faixa de Gaza com o Egito para conter o contrabando de armas, como parte de um acordo para colocar fim à guerra no território controlado pelo Hamas, segundo disseram fontes do governo israelense neste sábado, 10. Veja também:Israel alerta palestinos para combates mais durosPresidente da ANP diz que 'agressão' deve parar Israel mira novos alvos; 9 mortos em ataque com tanqueApós fracasso da ONU, Egito tenta cessar-fogoEmbaixador brasileiro no Egito fala da negociação entre Hamas e Egito  Correspondente do 'Estado' fala sobre o conflito Especial traz mapa com principais alvos em Gaza Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  Veja imagens de Gaza após os ataques     O plano também prevê o envio de uma força egípcia reforçada ao longo da fronteira da Faixa de Gaza com o Egito, que seria auxiliada por especialistas estrangeiros para destruir túneis de contrabando, disseram fontes à AFP.  A proposta do Egito é uma "versão melhorada" de um acordo de 2005 para a passagem na fronteira de Rafah, que exige a presença de forças da Autoridade Palestina e observadores da União Europeia (UE), disse uma fonte do setor de defesa.  O Egito está agora propondo que a Autoridade Palestina - que foi expulsa da Faixa de Gaza pelo Hamas em junho de 2007 - envie uma grande força com autoridade reforçada, disse uma fonte do governo israelense.  "A força palestina seria maior e teria mais autoridade nos pontos de passagem e ao longo de toda a fronteira. Ela também terá comunicações fortalecidas com a Autoridade Palestina em Ramallah (capital política da Cisjordânia)", disse essa fonte. "As forças palestinas vão patrulhar a rota Philadelphi (uma área que se estende ao longo da fronteira da Faixa de Gaza com o Egito) e vão evitar o contrabando ao longo da fronteira em cooperação com o Egito", acrescentou.  Ao mesmo tempo, Cairo está propondo o envio de mais forças ao longo de sua fronteira com a Faixa de Gaza, um movimento que exigiria uma emenda ao acordo de paz de 1979 entre Israel e o Egito, que limita o número de tropas egípcias na península do Sinai.  As forças egípcias trabalhariam em cooperação com um grupo de engenheiros estrangeiros que localizariam e destruiriam túneis de contrabando ao longo da fronteira. Segundo fontes da defesa de Israel, o governo israelense "seria a favor" de tal acordo.  Os egípcios apresentaram suas propostas em conversas com o enviado israelense Amos Gilad, um assessor sênior do ministro de Defesa israelense, Ehud Barak. Gilad visitou Cairo na quinta-feira e espera-se que retorne à capital do Egito na próxima semana.

Tudo o que sabemos sobre:
GazaIsraelHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.