Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

ElBaradei chega ao Irã para analisar atividade nuclear

Supervisor da ONU vai visitar a nova usina de enriquecimento de urânio, localizada na cidade de Qom

AE-AP,

03 de outubro de 2009 | 17h01

O supervisor das Organização das Nações Unidas (ONU) para energia atômica, Mohamed ElBaradei, chegou hoje a Teerã para analisar as condições de uma visita de inspetores da ONU à nova usina de enriquecimento de urânio, localizada na cidade sagrada de Qom. A visita de ElBaradei ocorre depois que os Estados Unidos exigiram agilidade nas discussões sobre o controverso programa nuclear do Irã. O presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, disse hoje que o presidente dos EUA, Barack Obama, cometeu um grande erro quando acusou o Irã de ter escondido seu novo sítio nuclear.             

 

  ElBalderi, supervisor da ONU para energia atômica, desembarca no aeroporto de Teerã. REUTERS  

              

ElBaradei, chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA, na sigla em inglês), deverá encontrar amanhã o presidente da Organização Iraniana de Energia Atômica, Ali Akbar Salehi, segundo agências de notícias locais. O principal propósito da visita é discutir com autoridades "como os inspetores da ONU poderão visitar a planta de Qom, outro instrumentos nucleares e discutir uma maior cooperação", de acordo com a agência ILNA.

As potências do ocidente suspeitam que Teerã esteja desenvolvendo tecnologia para fabricar bomba atômica, sob a alegação de estar desenvolvendo trabalhos nucleares apenas para uso civil. O Irã nega veementemente as acusações. O presidente Barack Obama avisou recentemente que sua paciência para dialogar sobre o tema estaria curta.

Mas Obama cedeu um pouco ao dizer que, na reunião do Irã com seis potências mundiais (Reino Unido, China, França, Alemanha, Rússia e Estados Unidos), realizada em Genebra, as conversas entre EUA e Irã tiveram seu nível mais elevado em três décadas. Isso teria marcado um início "construtivo" para encontrar um padrão para os planos nucleares.

Já Mahmoud Ahmadinejad defendeu hoje o programa nuclear de Teerã, inclusive a construção da usina de Qom. "As ações do Irã estão baseadas na honestidade. Não tivemos nenhum trabalho secreto porque demos informações (sobre a nova planta) com antecedência para a IAEA", afirmou Ahmadinejad em Teerã. O pronunciamento do presidente ocorreu antes da chegada do chefe da IAEA ao país.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUIrãnuclear

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.