Eleição libanesa é adiada para fevereiro, diz parlamentar

A eleição presidencial libanesa foiadiada de segunda-feira para 11 de fevereiro, disse nestedomingo o presidente do Parlamento, Nabih Berri, anunciando o13o atraso de uma votação bloqueada pela crise política dopaís. Líderes libaneses rivais acertaram que o chefe do Exército,general Michel Suleiman, será o próximo presidente. O cargoestá vago desde 23 de novembro, quando o mandato do presidentepró-Síria Emile Lahoud expirou. Mas a confirmação de Suleiman por uma votação no Parlamentoestá congelada porque a coalizão governista anti-Síria e osoponentes apoiados por Damasco não conseguiram concluir umacordo político para formar o novo governo. Berri anunciou o adiamento em um curto comunicado. Elemanteve conversas neste domingo com o secretário-geral da LigaÁrabe, Amr Moussa, que lidera os esforços mais recentes paramediar um fim à pior crise política desde a guerra civil doLíbano, entre 1975 e 1990. "A questão requer muito trabalho", disse Moussa após asnegociações, acrescentando que o tempo é "curto, então devemosnos mover rapidamente para um consenso e uma eleição".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.