Eleição presidencial no Líbano é adiada para novembro

Parlamentares ganham tempo para alcançar acordo para a escolha do substituto de Emile Lahoud

Efe e Reuters,

22 de outubro de 2007 | 08h26

O Líbano adiou nesta segunda-feira, 22, as eleições presidenciais no país por quase três semanas, a fim de dar mais tempo para que os grupos pró e anti-Síria consigam chegar a um acordo sobre um candidato. O pleito deve ocorrer em 12 de novembro. O Parlamento libanês deveria se reunir na terça-feira para escolher um sucessor do presidente pró-Síria Emile Lahoud, cujo mandato termina em 23 de novembro. O presidente do Parlamento, Nabih Berri, afirmou em nota que adiou a votação "para permitir que haja mais consultas que levem a um consenso para eleger um presidente que simbolize a unidade e a resistência do país". Esta é a segunda vez que a eleição é adiada. O pleito é visto como um passo vital para resolver uma crise de um ano envolvendo a maioria governista anti-Síria contra a oposição, liderada pelo grupo Hezbollah, aliado dos sírios. De acordo com fontes políticas, a demora é um sinal positivo de que os dois lados ainda tentam chegar a um acordo para garantir uma transição tranqüila.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesLíbano

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.