Em avanço diplomático, Grã-Bretanha planeja reabrir embaixada no Irã

A Grã-Bretanha planeja reabrir sua embaixada no Irã, anunciou o secretário britânico da Defesa, William Hague, nesta terça-feira, ao dizer que o país irá em breve estabelecer uma presença inicial em Teerã, dois anos e meio depois que uma multidão saqueou sua embaixada iraniana.

REUTERS

17 de junho de 2014 | 07h47

O anúncio foi feito depois que os Estados Unidos, grande aliado da Grã-Bretanha, disseram que poderão lançar ataques aéreos contra militantes islâmicos sunitas e atuar em conjunto com seu arqui-inimigo Irã para ajudar o governo iraquiano a conter o avanço dos insurgentes no Iraque, que levou à alteração na configuração das alianças no Oriente Médio.

"Decidi... agora que as circunstâncias são adequadas para a reabertura de nossa embaixada no Irã", disse Hague em um comunicado por escrito enviado ao Parlamento. Hague afirmou ter conversado sobre o assunto no sábado com o ministro de Relações Exteriores iraniano, Mohammad Javad Zarif.

A Grã-Bretanha fechou sua embaixada no Irã no final de 2011, depois que um protesto contra sanções britânicas se tornou violento e manifestantes escalaram os muros, saquearam as instalações e queimaram prédios.

Hague descreveu o Irã como "um país importante em uma região volátil" e enfatizou a necessidade de os funcionários da embaixada serem capazes de trabalhar sem obstáculos em Teerã.

(Reportagem de William James)

Mais conteúdo sobre:
IRAGRABRETANHAEMBAIXADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.