Em encontro com Olmert, Bush diz que Irã é 'ameaça à paz'

O presidente dos Estados Unidos,George W. Bush, recebeu na quarta-feira o primeiro-ministro deIsrael, Ehud Olmert, a quem disse que o Irã é "uma ameaçaexistencial à paz" que deve ser levada muito a sério pelomundo. Na véspera do encontro na Casa Branca, Olmert elevou o tomde seus alertas a Teerã, afirmando que o programa nuclear dopaís precisa ser contido "por todos os meios possíveis". Ao usar a expressão "existencial", Bush repete um termofrequente em Israel, onde muitos vêem o Irã como uma ameaça àprópria existência do Estado judeu. "É muito importante que o mundo leve a ameaça iraniana asério, o que fazem os Estados Unidos", disse Bush, que liderauma campanha internacional por sanções ao Irã. Teerã rejeita asacusações e diz que seu programa nuclear é exclusivamentepacífico. Olmert, que está sob pressão para renunciar devido a umescândalo de caixa-dois eleitoral, disse no Salão Oval que oIrã representa "a principal ameaça para todos nós". Os dois líderes discutiram também o processo de paz entreIsrael e os palestinos, mas nenhum deles mencionou a metainicial de concluir as negociações ainda durante o mandato deBush, que vai até janeiro -- algo que só ocorreria "pormilagre", segundo disse na Cisjordânia o negociador palestino,Ahmed Qurie. Olmert está ameaçado pela suspeita de que recebeu envelopescheios de dinheiro de um empresário judeu dos EUA parafinanciar campanhas políticas. Ele nega qualquerirregularidade, mas diz que vai renunciar se chegar a serindiciado. A Casa Branca diz que o escândalo é um assunto interno deIsrael, mas insiste que Olmert não é o único líder israelensecomprometido com o processo de paz. (Por Matt Spetalnick) REUTERS FE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.