Em meio a crise, Líbano adia eleições para 10 de junho

Sessão parlamentar para eleger novo presidente é adiada pela 19.ª vez; tensão política no país já dura 18 meses

Reuters e Efe,

12 de maio de 2008 | 15h32

O Líbano adiou nesta segunda-feira, 12, para 10 de junho a sessão parlamentar para eleger um novo presidente, anunciou um porta-voz do Parlamento, no 19.º adiamento da votação. As tensões no país, cuja crise política já dura 18 meses, aumentaram nos últimos dias após a oposição do Hezbollah começar um campanha armada contra o governo libanês, que é apoiado pelos Estados Unidos.   Veja também: Crise só acabará com renúncia de premiê, diz oposição libanesa Conflitos nas montanhas elevam total de mortos no Líbano a 81 Confrontos violentos no Líbano se espalham pelo país Advogado brasileiro no Líbano relata o clima e tensão no país  Entenda as divisões e a crise política   Nesta segunda-feira, o opositor cristão Michel Aoun assegurou que não haverá estabilidade no Líbano até que o governo do sunita Fouad Siniora apresente sua renúncia. Aoun explicou que a principal causa da crise não era o bloqueio da rota do aeroporto, fechada por milicianos do Hezbollah na semana passada, mas a atuação do atual Executivo.   Desde quarta-feira, 7, pelo menos 81 pessoas morreram e 250 ficaram feridas nos enfrentamentos entre partidários da maioria parlamentar e a oposição que começaram em Beirute e se estenderam a vários pontos do país.

Tudo o que sabemos sobre:
BeiruteLíbanoHezbollah

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.