Embaixada Americana no Paquistão critica ações da polícia local

Diplomatas têm sido detidos e assediados durante incursões no terrítório paquistanês, segundo embaixada

AP,

07 de janeiro de 2010 | 17h48

A embaixada americana no Paquistão reclamou nesta quinta-feira, 07, que seus diplomatas têm sido detidos e assediados ao viajar pelo país, o que revela grandes tensões entre os aliados paquistaneses enquanto os americanos expandem sua presença no local.

 

O baixo número de protestos públicos reflete a crescente frustação dentre os oficiais americanos, após esforços paquistaneses para deter o aumento da presença de Washington em seu país.

 

Oficiais dos Estados Unidos pedem mais quartos e pessoas para distribuírem um pacote de ajuda humanitário de 7,5 bilhões de dólares no Paquistão, que precisa lutar contra aliados e militantes da Al-Qaeda em sua fronteira com o Afeganistão.

 

Mas os paquistaneses duvidam das reais intenções dos Estados Unidos. Muitos acreditam que os norte-americanos estão simplesmente alimentando o país com mais espiões para desastabilizar o local e supervisionar o programa nuclear paquistanês.

 

Nas últimas semanas, diplomatas americanos têm enfrentado grandes atrasos para receber aprovações e extensões de visto. Alguns também foram detidos em pontos de revista por policiais e tiveram seus veículos confiscados. Alguns dos casos foram publicados na imprensa paquistanesa.

Tudo o que sabemos sobre:
PaquistãoEstados UnidosAfeganistão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.