Embaixador da Líbia nos EUA renuncia de 'regime ditatorial'

Em entrevista à rede ABC, diplomata pede a saída de Kadafi do governo

REUTERS

22 de fevereiro de 2011 | 09h50

WASHINGTON - O embaixador da Líbia nos Estados Unidos, Ali Aujali, anunciou nesta terça-feira, 22, que não representa mais o "regime ditatorial" de seu país e pediu a saída do líder Muamar Kadafi.

 

Veja também:

especialLinha do Tempo: 40 anos de ditadura na Líbia

mais imagens Galeria:   Veja imagens dos conflitos

especialInfográfico:  A revolta que abalou o Oriente Médio

blog Radar Global: Acompanhe os protestos na região

 

 

"Eu renuncio a servir ao atual regime ditatorial. Mas nunca renunciarei a servir ao meu povo até que sua voz alcance o mundo todo, até que seus objetivos sejam conquistados", disse Aujali em entrevista no programa de TV "Good Morning America", da rede ABC.

 

"Estou pedindo que ele (Kadafi) saia e deixe o nosso povo sozinho."

 

Kadafi, no poder há mais de quatro décadas, enfrenta fortes protestos contra seu regime. A maneira violenta como tem repreendido os manifestantes, com aviões da força aérea, forças de segurança e mercenários, levantou a preocupação da comunidade internacional. Organizações de direitos humanos estimam que centenas já tenham morrido, enquanto a ONU diz que os ataques são crimes contra a humanidade.

 

Leia ainda:

linkAtaques na Líbia podem ser crimes contra a humanidade, diz ONU

linkAviões militares retomam ataques contra manifestantes

linkNa televisão, Kadafi ignora protestos e pressão internacional

linkConselho de Segurança da ONU discutirá crise líbia

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAEMBAIXADORRENUNCIA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.