Embaixador polonês é ferido em ataque em Bagdá

Duas pessoas morreram e outras 11 ficaram feridas durante a explosão; explosão aconteceu no centro da cidade

Associated Press e Agência Estado,

03 de outubro de 2007 | 05h59

O embaixador da Polônia em Bagdá, general Edward Pietrzyk, escapou ferido de um ataque contra o comboio no qual viajava pela cidade nesta quarta-feira, 3. Um guarda-costas polonês e um civil iraquiano perderam a vida no incidente, segundo informaram funcionários do governo estrangeiro.   Pietrzyk, de 57 anos, sofreu queimaduras e foi socorrido em um hospital da Zona Verde, uma região fortificada da capital iraquiana onde fica a maior parte das embaixadas estrangeiras no Iraque, disse Waldemar Figaj, vice-embaixador polonês, em conversa com a Associated Press.   "Ele vai ficar bem", afirmou Figaj. Segundo ele, o embaixador não sofreu queimaduras graves.   Um civil iraquiano que passava pelo local morreu quando pelo menos duas bombas explodiram por volta das 10 horas locais desta quarta, informou uma fonte na polícia bagdali.   Um guarda-costas, possivelmente o motorista do carro que conduzia Pietrzyk no momento do ataque, morreu depois de ser socorrido, disse Robert Szaniawski, um porta-voz da chancelaria polonesa.   Pelo menos 11 pessoas, inclusive três guarda-costas, ficaram feridas, prosseguiu a polícia local. A explosão ocorreu em Karradah, um bairro da região central de Bagdá. O local foi isolado por militares americanos e iraquianos.   Segundo Szaniawski, o ataque ocorreu a apenas algumas centenas de metros da embaixada e acredita-se que o alvo fosse o embaixador. "Ainda desconhecemos o motivo", comentou.   A Polônia enviou tropas aos Iraque em 2003 para ajudar os Estados Unidos na ocupação do país árabe, invadido em março daquele ano em busca de armas de destruição em massa que nunca vieram a ser encontradas. Cerca de 900 soldados poloneses continuam no Iraque.   Matéria ampliada às 09h55.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.