Empresa da família Bin Laden quer construir cidades inteiras

A incorporadora imobiliária MiddleEast Development, com sede em Dubai e controlada por um membroda família saudita Bin Laden, está adquirindo enormes terrenosno Iêmen, no Djibouti e na Síria para construir cidadesinteiras. A empresa quer se expandir além dos empreendimentoscomerciais e residenciais e entrar no planejamento e construçãode cidades de grande porte a partir da estaca zero. "Há uma enorme necessidade de grandes desenvolvimentos nainfra-estrutura para acomodar o rápido crescimento econômico epopulacional", disse Oussama Al Dimashki, executivo-chefe daMiddle East Development, em entrevista à Reuters naterça-feira. Segundo ele, o crescimento econômico no Oriente Médio, naÍndia e na China, entre outros lugares, está sobrecarregando ascidades existentes, que não foram planejadas para populaçõestão grandes. "O futuro será do ''franchising'' de cidades. Cidadesinteiras que sejam dirigidas por empresas privadas ao invés degovernos e burocracias", afirmou. O grupo, controlado por Tarek Mohammed bin Laden--meio-irmão de Osama bin Laden, o líder da Al Qaeda-- estáadquirindo 1.500 quilômetros quadrados de terra no Iêmen ecerca de 600 quilômetros quadrados no Djibouti, para construirduas cidades, que no futuro devem ser ligadas por uma ponte de27 quilômetros ligando a África à Ásia. "Quando se fala em colocar infra-estrutura, os aeroportos,as rodovias e os sistemas de saneamento básico, além dosempreendimentos residenciais e comerciais, estamos falando emcentenas de bilhões de dólares", disse o sírio Dimashki. O grupo, criado em 2004, também discute projetos na Síria,na Tunísia e no Marrocos. Segundo ele, os terrenos seriam desenvolvidos eposteriormente loteados e vendidos a outros investidores. A empresa atualmente administra um patrimônio de cerca de280 milhões de dólares, principalmente no Barein e em Dubai.Mas o objetivo é diversificar. "Nosso foco é sair de Dubai, porque achamos que Dubai estáficando menos lucrativa. Acho que há oportunidades muito maislucrativas no Oriente Médio como um todo", disse o ex-professorde economia. A Middle East Development também está negociando com umaincorporadora de Cingapura para construir um complexoresidencial e comercial em uma cidade na China, e estuda tambéma possibilidade de investir em um projeto de escritórios ecomércio varejista em Bangkok. REUTERS FE

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.