Encontrados mortos 30 combatentes pró-Gaddafi em área de Trípoli

Mais de 30 homens que se acredita terem sido combatentes leais ao líder líbio Muammar Gaddafi foram mortos em um acampamento militar no centro de Trípoli e pelo menos dois deles estavam algemados, num indício de que foram executados.

PETER GRAFF, REUTERS

25 de agosto de 2011 | 15h27

Um correspondente da Reuters contou nesta quinta-feira 30 corpos com tiros em uma área da capital líbia onde houve confronto entre forças de Gaddafi e rebeldes.

Cinco estavam num hospital de campanha nas imediações e um deles em uma ambulância amarrado a uma maca, com soro.

O acampamento estava repleto de propaganda de Gaddafi e de bandeiras verdes de seu regime. Alguns dos mortos usavam uniformes militares e outros estavam em trajes civis. Havia alguns africanos no grupo. Sabe-se que Gaddafi recrutava soldados de países vizinhos.

Em outra parte da cidade, um britânico que trabalha na área de saúde disse que um hospital havia recebido os corpos de 17 civis que se acredita tenham sido executados nos últimos dias por forças do governo.

O porta-voz da ONU para direitos humanos, Rupert Colville, disse que as alegações de execuções sumárias eram alarmantes.

"Neste momento é difícil para nós confirmarmos qualquer coisa, mas incidentes como esses serão examinados pela Comissão de Inquérito sobre a Líbia, que emitiu seu primeiro relatório em junho e ainda está operando", disse ele à Reuters.

"Nós conclamamos todos aqueles em posições de autoridade na Líbia, incluindo comandantes de campo, a tomarem medidas ativas para garantir que não seja cometido nenhum crime ou ato de vingança."

(Reportagem de Peter Graff)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAEXECUTADOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.