Enfermeira de Gaddafi volta à Ucrânia e evita imprensa

A enfermeira pessoal do líder líbio, Muammar Gaddafi, saiu às compras nesta segunda-feira em sua cidade natal na Ucrânia, mas recusou-se a falar sobre sua vida na Líbia, país do qual fugiu no sábado.

PAVEL POLITYUK, REUTERS

28 de fevereiro de 2011 | 13h26

Contudo, uma pessoa que voltou a Kiev no mesmo vôo que ela disse que a enfermeira Galyna Kolotnyska tem certeza de que Gaddafi vai derrotar os rebeldes que tentam afastá-lo do poder, e estará preparada para retornar a Trípoli quando isso acontecer.

Kolonytska chegou a Kiev na manhã do domingo em um avião do Ministério da Defesa ucraniano, juntamente com mais 180 outros ucranianos retirados da Líbia, onde as forças de Gaddafi lutam contra uma revolta que ameaça seu governo de 41 anos.

Kolonytska, que, segundo relatos da mídia, tem 38 anos, foi descrita em telegramas diplomáticos dos EUA divulgados pelo WikiLeaks em dezembro como sendo uma das confidentes mais próximas de Gaddafi e alguém com quem ele possivelmente mantém um relacionamento romântico.

Ela foi recebida por sua filha Tatiana quando desembarcou em Kiev e levada de carro a sua cidade natal, Brovary, cidade-dormitório distante cerca de 20 quilômetros da capital.

Com cabelos loiros amarrados para trás e usando óculos de sol Dior, casaco de couro preto e jeans, Kolonytska saiu de seu apartamento na segunda-feira para fazer compras em um supermercado local.

Quando retornou, ela disse à Reuters: "Não vou falar com vocês."

(Reportagem adicional de Richard Balmforth)

Tudo o que sabemos sobre:
LIBIAENFERMEIRAGADDAFI*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.