ENTREVISTA-Trégua em Gaza permitiria envio de forças da ONU

Uma trégua mediada pelo Egito e asnegociações realizadas entre facções palestinas rivais podemcriar o ambiente necessário para o envio de forças de paz daOrganização das Nações Unidas (ONU) à Faixa de Gaza, disse naquinta-feira um enviado da entidade internacional. Robert Serry, coordenador especial da ONU para o processode paz no Oriente Médio, disse que a idéia de enviar forças depaz era "prematura" neste momento, mas que poderia tornar-se"bastante viável" futuramente, se melhorar a situação políticae de segurança. O cessar-fogo assinado por Israel e pelo grupo islâmicoHamas em um processo mediado pelo Egito começou a vigorar naquinta-feira, mas os dois lados manifestaram dúvidas a respeitoda duração dele. Pelos termos do acordo, as duas partes deixarão de realizarataques através da fronteira e Israel, gradualmente, tornarámenos severo o bloqueio econômico imposto a esse territóriocosteiro depois de o Hamas, há um ano, ter expulsado dali asforças da facção Fatah, ligadas ao presidente palestino,Mahmoud Abbas. "Eu sei que já há muita desconfiança", afirmou Serry àReuters, em uma entrevista. "Nós deveríamos ter em mente queesse cessar-fogo é ainda frágil, e que continuará a sê-lo naspróximas semanas especialmente. E é por isso que esperamos detodas as partes que ajam com cuidado e responsabilidade paragarantir que o período de calma perdure." Segundo Serry, agências da ONU incentivariam a moribundaeconomia da Faixa de Gaza retomando as obras congeladas no anopassado devido às restrições impostas por Israel a respeito daimportação de materiais de construção. "Queremos que os postos de fronteira sejam reabertos deforma controlada e sustentável", disse Serry, acrescentando queisso deveria envolver a participação "da legítima AutoridadePalestina", uma referência ao governo de Abbas, que controlaatualmente a Cisjordânia e tem como primeiro-ministro SalamFayyad. Além de amenizar o bloqueio à Faixa de Gaza, aspreocupações de Israel e do Egito a respeito da segurançadeveriam ser respondidas rapidamente, afirmou o enviado da ONU. O governo israelense exigiu o fim do contrabando de armaspara a Faixa de Gaza e condicionou a reabertura do posto defronteira de Rafah, com o Egito, à libertação do soldadoisraelense Gilad Shalit, capturado por militantes palestinos. Nos últimos meses, o governo de Fayyad e autoridades da ONUdiscutiram a idéia de colocar forças de paz da organização naponta sul da Faixa de Gaza, uma região pouco povoada que seestende entre Rafah, o posto de fronteira de Kerem Shalom (nafronteira israelo-egípcia) e o posto comercial de Karni, comIsrael. Autoridades israelenses e diplomatas ocidentais disseramque as forças internacionais deveriam montar sua base no hojedesativado aeroporto da Faixa de Gaza.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.