Enviado dos EUA nega que haja diálogo entre Taleban e governo afegão

Segundo Richard Holbrooke, apenas 'líderes provinciais' se disseram dispostos a conversas

AP,

29 de outubro de 2010 | 20h59

WASHINGTON- O enviado especial dos Estados Unidos ao Afeganistão e Paquistão, Richard Holbrooke, afirmou nesta sexta-feira, 29, que líderes afegãos do Taleban não demonstraram interesse em um fim negociado para a guerra, apesar de uma ofensiva crescente e intensifica da Otan.

 

Veja também:

linkAtaque dos EUA mata cinco no noroeste do Paquistão

linkMilitantes paquistaneses decapitam 'falso' taleban

 

O funcionário declarou que relatos recentes de discussões entre oficiais do governo afegão e líderes da insurgência não são verdade, e que tais conversações não aconteceram.

 

Pessoas que lutaram muito tempo com os rebeldes, mas aparentemente não líderes, contou Holbrooke, fizeram contato, dizendo: "Já estou cansado dessa guerra. Eu gostaria de conversar com vocês".

 

O enviado não citou nomes, mas disse que os insurgentes que estão fazendo tais contatos são "líderes provinciais, comandantes individuais", que estariam "sentindo a pressão" da ofensiva das forças da Otan.

 

"Este não é, contudo, o tipo de conversações de alto nível sobre os quais todos vocês estavam escrevendo e especulando", disse a jornalistas. "E essas não estão acontecendo, estão apenas escrevendo sobre elas. E há uma grande confusão na mente dos leitores".

 

Na semana passada, oficiais da Otan deram uma descrição diferente sobre o nível dos insurgentes envolvidos nas conversas.

 

Mark Sedwill, principal representante civil da aliança atlântica, disse em 20 de outubro que rebeldes que entraram em contato com o governo afegão incluíam "membros significantes da liderança Taleban", ressaltando o caráter preliminar das negociações. "Não são nem conversas sobre conversas".

 

O principal comandante da Otan, o general David Petraeus, declarou em 15 de outubro que a coalizão providenciou viagens seguras a líderes taleban não especificados que estavam conversando com o governo afegão também de forma preliminar.

 

A insurgência nega que quaisquer de seus líderes esteja participando de negociações para o fim do conflito.

Tudo o que sabemos sobre:
TalebanEUAAfeganistãoHamid Karzai

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.