Equipe de investigação de armas químicas na Síria sofre ataque

Uma equipe de especialistas internacionais que investiga o suposto uso de bombas de gás cloro na Síria sofreu um ataque nesta terça-feira, mas todos os membros da equipe conseguiram retornar em segurança para a base, informou a Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq).

ANTHONY DEUTSCH E DOMINIC EVANS, Reuters

27 Maio 2014 | 10h38

A Síria acusou combatentes rebeldes nesta terça-feira de terem sequestrado membros da equipe conjunta de investigação entre Opaq e Organização das Nações Unidas (ONU) que viajavam para a província central de Hama para investigar alegações de ataques ilegais de bombas de gás cloro.

A França diz acreditar que houve 14 ataques com o produto químico nos últimos meses.

Segundo comunicado do Ministério do Exterior sírio, dois carros levando 11 pessoas - cinco motoristas sírios e seis membros da equipe investigadora - foram “tomados por grupos terroristas”.

A equipe estava tentando chegar à vila de Kfar Zeita onde um cessar-fogo havia sido concordado entre 8h e 16h para que fosse permitida a realização dos trabalhos, disse o ministério. Um dos carros foi atingido por uma bomba, forçando a volta do carro remanescente.

(Reportagem adicional de Dominic Evans)

Mais conteúdo sobre:
SIRIA QUIMICA OPAQ*

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.