Esboço de resolução sobre Irã não prevê novas sanções

Seis potências mundiais concordaram com o esboço de uma resolução sobre o programa nuclear iraniano, mas seu conteúdo não prevê mais sanções contra o país, o que atende à preferência da Rússia, informaram autoridades européias nesta sexta-feira. O secretário de Relações Exteriores da Grã-Bretanha, David Miliband, disse a repórteres que as seis potências irão apresentar na sexta-feira o esboço ao Conselho de Segurança da ONU, para que este o avalie. Não ficou claro quando o Conselho opinará sobre o texto, mas uma autoridade européia disse que isso pode acontecer durante o fim de semana. Estados Unidos, Grã-Bretanha, França e Alemanha queriam aplicar mais sanções contra o Irã, que se recusa a suspender o enriquecimento de urânio. China e, principalmente, a Rússia se opuseram a novas sanções. "Apresentaremos uma curta resolução para consulta hoje. (A resolução) reafirma as resoluções existentes que estão nos livros da ONU... e reafirma a unidade das potências", disse Miliband, cujas palavras foram confirmadas pelo ministro das Relações Exteriores francês, Bernard Kouchner. Miliband deixou claro que a resolução não inclui novas sanções -- exigência contida nas quatro resoluções anteriores. As seis potências e o conselho estão determinados a fazer "mais discussões e dar mais passos" na questão do programa nuclear iraniano, segundo Miliband. O Ocidente acredita que o programa iraniano sirva para produzir armas atômicas. O encontro de ministros das seis potências devia ter acontecido na quinta-feira, mas foi cancelado depois que a Rússia decidiu não participar para protestar contra as críticas norte-americanas à invasão da Geórgia, no mês passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.