Escudo antimísseis de Israel começará a funcionar em novembro

Sistema milionário intercepctará projéteis lançados da Faixa de Gaza e do Líbano

Efe,

19 de julho de 2010 | 19h34

JERUSALÉM- O governo de Israel anunciou nesta segunda-feira, 19, que seu escudo antimísseis 'Iron Dome' ('Cúpula de Ferro', em tradução livre), destinado a interceptar projéteis de curto alcance lançados da Faixa de Gaza ou do Líbano, entrará em funcionamento em novembro.

 

Em comunicado, o Ministério da Defesa israelense informou sobre o encerramento com sucesso de todos os testes do sistema, que neutralizaram foguetes de entre cinco e 70 km de alcance por meio de projéteis guiados por radar.

 

O escudo será implantado nas fronteiras com a Faixa de Gaza e o Líbano. A Faixa é origem de ataques de foguetes de milícias palestinas, enquanto o Líbano foi o ponto de partida de quatro foguetes disparados pelo Hezbollah contra Israel no confronto de 2006 no qual morreram mais de mil libaneses, em sua maioria civis, e 163 israelenses, principalmente soldados.

 

O Exército israelense já mobilizou um batalhão em sua divisão antiaérea para operar o 'Iron Dome', criado em 2007.

 

O sistema protegerá 95% dos residentes nas localidades vizinhas à Faixa de Gaza e ignorará os projéteis que caem em espaços abertos - a maioria -, dado o alto custo econômico dos foguetes interceptores.

 

O projeto tem um orçamento de mais de 800 milhões de shekels (140 milhões de euros) e faz parte de uma estratégia israelense mais ampla para neutralizar qualquer ameaça de foguetes, desde os de curto alcance aos balísticos em poder da Síria e do Irã.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.