Esforços para libertação de soldado estão estagnados, diz Israel

Reunião com Hamas terminou sem avanços; Gilad Shalit está em poder de grupo palestino desde 2006

Efe,

17 de março de 2009 | 17h17

O gabinete israelense concluiu nesta terça-feira, 17, uma reunião na qual analisou os esforços para conseguir a libertação do soldado Gilad Shalit, nas mãos do Hamas, que foram qualificados por vários ministros de "estagnados". A reunião durou três horas e terminou sem que o governo anunciasse o fim das negociações realizadas com a mediação do Egito com o movimento islamita palestino Hamas, informa a imprensa local.

 

Veja também:

linkHamas endurece exigências para libertação de soldado de Israel

 

O porta-voz do primeiro-ministro israelense, Mark Regev, disse à Agência Efe que o chefe do governo, Ehud Olmert, participará de uma coletiva de imprensa às 20h locais (15h de Brasília). O governo israelense realizou a reunião depois do fracasso das negociações indiretas entre Israel e Hamas nos últimos dias, no Cairo, para a libertação de Shalit, capturado pelo grupo palestino em 2006, em troca da soltura de mais de mil presos palestinos.

 

As duas partes se acusaram pelo fracasso das negociações, nas quais não entraram em acordo sobre o número e identidade dos presos palestinos que seriam libertados, e as condições em que recuperariam a liberdade. O Conselho de Ministros israelense foi assessorado sobre o assunto pelos enviados especiais nas negociações no Cairo Ofer Dekel e Yuval Diskin, este último chefe do serviço de segurança interior (Shin Bet).

 

Em frente à sede do governo israelense, vários manifestantes e simpatizantes da família do soldado protestaram pelo fracasso da negociação. A família de Shalit foi convocada esta tarde para se reunir com Olmert.

Tudo o que sabemos sobre:
IsraelGilad ShalitHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.