Estado Islâmico mata 17 em cidade histórica na Síria, alguns decapitados

Segundo grupo de monitoramento, entre as vítimas em Palmyra estão membros das forças de segurança do regime sírio

O Estado de S. Paulo

21 de maio de 2015 | 15h48

LONDRES - Militantes do Estado Islâmico mataram pelo menos 17 pessoas, entres elas integrantes das forças de segurança sírias e civis pró-governo na cidade de Palmyra, tomada pelo grupo jihadista nesta semana, afirmou nesta quinta-feira um grupo de monitoramento. 

Algumas das vítimas foram decapitadas, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, com sede na Grã-Bretanha.

O Estado Islâmico tomou Palmyra, também conhecida como Tadmur, na quarta-feira. O Observatório diz que o grupo rebelde matou um total de 49 pessoas em áreas próximas a Palmyra à medida que avançava em direção à histórica cidade, considerada Patrimônio da  Humanidade pela Unesco. / REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
SÍRIAESTADO ISLÂMICOPALMYRA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.