Estado Islâmico mata 25 membros de tribo iraquiana perto de Ramadi

Militantes do Estado Islâmico mataram 25 membros de uma tribo muçulmana sunita durante ataque a uma capital provincial a oeste de Bagdá, disseram autoridades locais neste sábado, em uma aparente vingança pela oposição tribal aos radicais islâmicos.

REUTERS

22 Novembro 2014 | 11h26

As fontes afirmaram que os corpos dos homens da tribo Albu Fahd foram descobertos após o Exército lançar uma contra-ofensiva no sábado contra o Estado Islâmico, em uma aldeia a leste de Ramadi, capital da província de Anbar.

As mortes lembraram a execução de centenas de membros da tribo Albu Nimr, no mês passado, por combatentes do Estado Islâmico tentando romper a resistência local para seus avanços em Anbar, província muçulmana sunita que o grupo controlou por quase um ano.

"Enquanto vasculhavam os territórios que estão sendo liberados, as forças de segurança encontraram 25 corpos na área de Shukariya", disse Hathal Al-Fahdawi, membro do Conselho Provincial de Anbar, à Reuters.

O líder tribal de Albu Fahd, Sheik Rafie al-Fahdawi disse que pelo menos 25 corpos foram encontrados, e afirmou esperar que o total seja significativamente maior.

Ele disse ainda que os corpos foram encontrados dispersos, sem sinais de armas ao redor, sugerindo que eles não foram mortos em combate.

Mais conteúdo sobre:
IRAQUEESTADOISLAMICO25MORTOS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.