Estudantes iranianos protestam contra prisões de colegas

Um grupo de estudantes iranianos sereuniu na Universidade de Teerã no domingo para protestarcontra a prisão de três estudantes na semana passada, informouuma agência de notícias iraniana. A Isna, agência de notícias estudantil, disse que os trêsestudantes foram detidos em uma pequena manifestação em outrauniversidade da capital na terça-feira. Eles protestavam contraa suspensão de alguns alunos. "Estudantes presos devem ser libertados", gritavam osestudantes, segundo a Isna, sem informar quantos estavam noprotesto. Não foi informada a razão da detenção, mas outra agência denotícias disse que a manifestação da semana passada havia sidoilegal. Protestos estudantis são relativamente raros em anosrecentes na República Islâmica, que enfrenta uma disputa sobrequestões nucleares com os Estados Unidos e é frequentementecriticada no Ocidente por reprimir dissidentes. No começo de outubro, mais de 100 estudantes entraram emconfronto com a polícia e apoiadores do presidente MahmoudAhmadinejad no campus da Universidade de Teerã, em frente aoauditório onde o presidente daria uma palestra. Estudantes e professores liberais vêm criticandoAhmadinejad por sua repressão aos dissidentes em universidadesiranianas, embora o presidente e seu governo afirmem que apóiama livre expressão e respeitem a oposição construtiva. Estudantes e ativistas dizem que aqueles que se expressaramcontra Ahmadinejad e seu governo nos últimos dois anos foramdetidos ou impedidos de se matricularem em cursos deuniversidades. O manifestante Farbod Hashemi, segundo a Isna, falou aosestudantes durante o protesto: "Estamos reunidos aqui para mais uma vez expressar nossoprotesto. Usamos este tribunal aberto para dizer que estamosprontos a sacrificar nossas vidas pela felicidade e liberdade." Ahmadinejad assumiu o poder em 2005, com a promessa dedistribuir a riqueza do petróleo do Irã com justiça e retomaros ideais revolucionários. Os críticos afirmam que suas políticas aumentaram ainflação e sua retórica agressiva levou os países do Ocidente aimpor sanções. (Reportagem de Reza Derakhshi; Edição em português 551156447738))

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.