EUA admitem bombardeio em área civil em Bagdá

Ataque aérem em bairro residencial da capital iraquiana deixa pelo menos dez civis mortos e sete feridos

Efe e Reuters,

29 de setembro de 2007 | 12h39

O exército norte-americano confirmou neste sábado, 29, que executou um ataque aéreo em Doura, no sul de Bagdá, na sexta-feira. Segundo os militares, o ataque tinha como alvo homens que dispararam morteiros em área vizinha. Na sexta-feira, a Polícia iraquiana denunciou que o bombardeio contra o bairro residencial de Al-Doura, de população sunita, tinha deixado dez civis mortos e sete feridos. O exército dos Estados Unidos afirmou que estimava que duas ou três pessoas foram mortas ou feridas, mas que não podia dar números precisos já que os corpos foram removidos antes de as tropas chegarem ao local.   "Lamentamos quando civis são feridos ou mortos enquanto forças da coalizão tentam livrar o Iraque do terrorismo. Terroristas continuam a deliberadamente colocar mulheres e crianças inocentes do Iraque em perigo por suas atitudes e presença", afirmaram os Estados Unidos em comunicado. Imagens de televisão da Reuters do hospital Yarmouk em Bagdá mostraram três homens e dois meninos feridos no ataque. Médicos amputaram a perna esquerda de um dos meninos. Forças americanas e iraquianas capturaram um suposto chefe de um grupo extremista acusado de seqüestrar, torturar, assassinar e forçar o deslocamento de centenas de iraquianos sunitas, informou o comando militar americano. A prisão foi efetuada na quinta-feira, no bairro Jadidah, no sul de Bagdá, diz o comando em comunicado, afirmando que o extremista liderava um grupo de dez "brigadas integradas por terroristas". O líder e seu grupo foram responsáveis pelo assassinato de mais de 90 cidadãos sunitas desde janeiro e pela expulsão de cerca de 175 famílias, também sunitas, que tiveram que abandonar suas casas a partir de novembro, afirma o comando americano. Ataque suicida Pelo menos oito pessoas morreram e 17 ficaram feridas num atentado e em dois ataques na província de Ninawa, a norte de Bagdá, informaram fontes de segurança iraquianos. Três civis e três militares foram mortos pela explosão de um carro-bomba conduzido por um suicida, na aldeia de al-Mazraat, próxima à cidade de Tal Afar, 470 quilômetros a noroeste da capital.Segundo as fontes, a explosão causou danos graves em várias casas e Carros. Um grupo armado assassinou neste sábado o xeque Ghanem Qasem, membro do Conselho de al-Ifta em Ninawa e principal dirigente da Mesquita al-Huda, no bairro al-Mizaq, no leste de Mossul, capital daProvíncia. Além disso, as fontes informaram que um jornalista, identificado como Abdel Jaleq Nasser, foi morto na noite de sexta-feira num ataque com bombas contra a área de Bab al-Beid, a oeste de Mossul. O morto era dirigente do Sindicato de Jornalistas do Iraque em Ninawa. Ele trabalhou nos jornais Al Qadesiya e Al Jumhuriya, que suspenderam suas atividades após a invasão do país, em março de2003.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUAviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.