EUA admitem decepção em esperança por paz no Oriente Médio

Em entrevista à revista 'Time', Obama diz que superestimou habilidade reconciliatória de seu governo

Associated Press,

21 de janeiro de 2010 | 12h55

O presidente dos EUA, Barack Obama, admitiu nesta quinta-feira, 21, que seu governo superestimou sua habilidade de persuadir Israel e a Palestina a retomar as negociações de paz.

 

Obama afirmou que nenhuma das partes tinha intenções de tomar atitudes que fariam as negociações progredirem e admitiu que se os EUA tivessem percebido isso antes, as expectativas sobre uma possível resolução do conflito não seriam tão altas.

 

O presidente disse que os EUA continuarão a trabalhar pela solução bilateral na qual o Estado de Israel estaria seguro e os Palestinos teriam soberania e um Estado próprio.

 

As declarações de Obama foram publicadas na revista americana Time desta quinta.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAOriente MédioObamaIsraelPalestina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.