EUA avaliam retirada mais lenta de tropas do Afeganistão, diz Carter

Os Estados Unidos consideram uma retirada mais lenta de tropas norte-americanas do Afeganistão para garantir que o "progresso permaneça", depois de mais de uma década de guerra, disse o novo secretário de Defesa, Ash Carter, durante uma visita inesperada a Kabul, neste sábado.

REUTERS

21 de fevereiro de 2015 | 18h15

No atual planejamento, os Estados Unidos reduziriam o número de tropas no Afeganistão para apenas 5.000 este ano, diminuindo gradativamente para um número "normal" de uma embaixada norte-americana até o fim de 2016.

O cronograma agora pode mudar, pelo menos parcialmente, sugeriu Carter na sua primeira viagem ao exterior desde que se tornou o chefe do Pentágono na terça-feira, enquanto os Estados Unidos também repensam o futuro da sua missão contra-terrorista no Afeganistão.

Seus comentários serão a base de discussões no mês que vem, quando o presidente afegão deve viajar para Washington.

"Nossa prioridade agora é garantir que o progresso permaneça", disse Carter, em uma entrevista coletiva conjunta com o presidente Ashraf Ghani, horas após chegar a Kabul.

"É por isso que o presidente (Barack) Obama está considerando várias opções para reforçar nosso apoio à estratégia de segurança do presidente Ghani, inclusive possíveis mudanças no cronograma da retirada de tropas americanas."

Ghani disse que espera discutir o número de tropas com Obama "no contexto de uma parceria mais ampla".

(Por Phil Stewart)

Tudo o que sabemos sobre:
AFEGANISTAOTALIBANEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.