EUA comemoram retomada de diálogo nuclear entre Irã e União Europeia

Teerã aceitou oferta da diplomacia do bloco e primeiras reuniões devem ocorrer no próximo mês

Efe,

29 de outubro de 2010 | 23h18

WASHINGTON- O governo dos Estados Unidos comemorou nesta sexta-feira, 29, a decisão do Irã de aceitar dialogar sobre seu programa nuclear com a União Europeia (UE) em novembro.

 

Veja também:

especialEspecial: O programa nuclear do Irã

lista Veja as sanções já aplicadas contra o Irã

 

"Damos as boas vindas à resposta do Irã a Catherine Ashton", disse o porta-voz do Departamento do Estado, Philip Crowley, referindo-se a chefe de diplomacia do bloco, que fez a oferta a Teerã.

 

Ashton propôs há uma semana a retomada do diálogo com três dias de reuniões a partir de 15 de novembro em Viena ou nos arredores da capital austríaca, sede da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), órgão de vigilância nuclear da ONU.

 

Segundo Crowley, a resposta iraniana indica um princípio de "boa vontade", algo que "levamos tempo buscando, ter um compromisso sustentado, uma discussão contínua com o Irã em uma ampla margem de assuntos".

 

O porta-voz desejou que o Irã trabalhe com o escritório de Ashton para determinar o quanto antes uma data e um local para a primeira a reunião.

 

As negociações seriam as primeiras em um ano, depois de a República Islâmica rechaçar em dezembro de 2009 uma proposta dos EUA, Rússia e Reino Unido para trocar seu urânio enriquecido a 3,5% por combustível nuclear destinado ao reator de pesquisas médicas de Teerã.

 

"Infelizmente, passou um ano sem que tenhamos a oportunidade para avançar nessa questão", declarou Crowley.

 

As potências ocidentais acusam o Irã de esconder, sob seu programa nuclear civil, outro de natureza clandestina e aplicações bélicas, cujo objetivo seria a aquisição de armas atômicas. Teerã nega tais alegações.

 

As tensões sobre o programa nuclear iraniano se acirraram no final do ano passado após o Irã rejeitar uma proposta de troca de urânio feita por EUA, Rússia e Reino Unido. Meses depois, o país começou a enriquecer urânio a 20%.

 

Um acordo mediado por Brasil e Turquia para troca de urânio chegou a ser assinado com o Irã em maio. O acordo, porém, foi rejeitado pelo Grupo de Viena - composto por Rússia, França, EUA e AIEA (Agência Internacional de Energia Atômica) - e o Conselho de Segurança da ONU optou por impor uma quarta rodada de sanções ao país.

 

Prisioneiros

 

O porta-voz aproveitou o aniversário do presidente iraniano, Mahmoud Ahmadinejad, para enviá-lo uma mensagem por meio da rede social Twitter pedindo a libertação de dois turistas americanos que ainda estão presos no Irã.

 

A volta de Josh Fattal e Shane Bauer "seria uma boa comemoração", postou Crowley em sua página.

 

Os jovens estão há mais de um ano presos sob suspeitas de espionagem. Os acusados e o governo americano negam as acusações e afirmam que eles cruzaram a fronteira entre o Iraque e o Irã acidentalmente, quando praticavam montanhismo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.