Abedin Taherkenareh/EFE/EPA
Abedin Taherkenareh/EFE/EPA

EUA deve colocar Guardiães da Revolução na lista de grupos terroristas

Exército ideológico foi criado em 1979 para proteger a revolução islâmica de ameaças externas e internas

AFP, O Estado de S.Paulo

06 de abril de 2019 | 01h50

WASHINGTON - Os Estados Unidos colocarão os Guardiães da Revolução do Irã na lista de organizações "terroristas". Esta decisão pode aumentar consideravelmente a pressão sobre a força paramilitar iraniana, informou nessa sexta-feira, 5, o Wall Street Journal. Citando membros do governo americano que pediram para ter o nome preservado, o jornal afirma que Washington anunciará a medida nesta segunda-feira, 8.

Os Guardiães da Revolução (Pasdaran) são um exército ideológico criado em 1979 para proteger a revolução islâmica de ameaças externas e internas. A força armada conta com um forte apoio econômico e político. Sua unidade de elite, a Quds, é utilizada para apoiar forças aliadas do Irã no exterior. Entre os beneficiados estão as tropas do presidente sírio, Bashar al Assad, e o Hezbollah libanês.

Em 2018, Washington impôs pesadas sanções econômicas aos Guardiães da Revolução. Qualquer empresa ou cidadão americano que realize negócios com uma organização qualificada de "terrorista" pelo governo americano é passível de sanções.

Ainda segundo o jornal, o Pentágono e a CIA estariam preocupados com as consequências que tal decisão pode ter sobre as tropas americanas no Oriente Médio.


Resposta iraniana

Caso os Estados Unidos concretize a decisão, o presidente da comissão de segurança do Irã Heshmatollah Falahatpisheh disse que o país colocará o exército norte-americano em sua lista de grupos terroristas. "Vamos colocar os militares deles em nossa lista de terrorismo, ao lado do Estado Islâmico", publicou Falahatpisheh em seu Twitter neste sábado, 6.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.