EUA e Israel assinam acordo contra rearmamento do Hamas

Documento tenta acabar com contrabando de armas na fronteira, uma das exigências israelenses para trégua

AP e Reuters,

16 de janeiro de 2009 | 15h00

A secretária de Estado Condoleezza Rice e a ministra do Exterior de Israel, Tzipi Livni, assinaram nesta sexta-feira, 16, um acordo para ajudar a impulsionar um "cessar-fogo durável" na Faixa de Gaza. O documento tenta acabar com o contrabando de armas para Gaza, feito através de túneis, e impedir o rearmamento da milícia palestina.   Veja também: Líder do Hamas rejeita condições israelenses para trégua Para Israel, guerra em Gaza está entrando no 'ato final' Hamas abriu fogo de dentro de prédio da ONU, acusa premiê Ministro do Interior do Hamas foi morto, dizem israelenses Invasão já deixou US$ 1,4 bilhão em prejuízos Conflito em Gaza vira guerrilha urbana  Especial traz mapa com principais alvos em Gaza  Linha do tempo multimídia dos ataques em Gaza  Bastidores da cobertura do 'Estado' em Israel  Conheça a história do conflito entre Israel e palestinos  Veja imagens de Gaza após os ataques        "Os passos que nós e outros membros da comunidade internacional podemos tomar contribuirão para um cessar-fogo durável", afirmou Rice, prestes a deixar o cargo de chefe da diplomacia americana. Segundo fontes diplomáticas, o texto prevê melhoras na troca de informações de inteligência entre os dois países, e apoio técnico e logístico dos EUA para o monitoramento da fronteira.   "O contrabando de armas em Gaza tem de acabar", afirmou Livni. "O memorando de entendimentos que firmamos hoje é um ingrediente vital para o fim das hostilidades", continuou a chanceler israelense. Os diplomatas esperam que este acordo dissipe as preocupações de Israel sobre a reabertura das fronteiras com Gaza, um dos pontos-chave do cessar-fogo negociado pelo Egito para terminar com o conflito que já matou mais de 1,1 mil palestinos desde que o Estado judeu iniciou a operação militar na região, em 27 de dezembro. Do lado israelense, 13 pessoas morreram até agora.

Tudo o que sabemos sobre:
GazaIsraelEUAHamas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.