EUA fecham sua embaixada em Damasco

WASHINGTON, 6 FEV - Os Estados Unidos anunciaram na segunda-feira o fechamento de sua embaixada na Síria em razão da piora da situação da segurança no país, isolando Damasco ainda mais por causa da repressão violenta aos protestos antigoverno.

REUTERS

06 de fevereiro de 2012 | 14h54

O Departamento de Estado, que advertiu no fim do mês passado que fecharia a embaixada caso as preocupações com a segurança não fossem resolvidas, informou ter suspendido as operações da embaixada e retirado todos os funcionários, incluindo o embaixador Robert Ford.

"Nós, ao lado de diversas outras missões diplomáticas, transmitimos nossas preocupações com a segurança ao governo sírio, mas o regime não respondeu adequadamente", disse a porta-voz do Departamento de Estado Victoria Nuland em um comunicado.

Nuland afirmou que Ford manterá sua posição como embaixador norte-americano para a Síria e trabalhará com a sua equipe em Washington.

"Junto com outros funcionários norte-americanos, o embaixador Ford manterá contato com a oposição síria e prosseguirá com nossos esforços para apoiar uma transição política pacífica, almejada com tanta coragem pelo povo sírio", disse Nuland.

A decisão dos EUA de fechar a embaixada em Damasco ocorre depois que Rússia e China vetaram uma resolução no Conselho de Segurança na Organização das Nações Unidas (ONU) apoiada pelos EUA e por seus aliados europeus e árabes, que previa o endosso a um plano da Liga Árabe pedindo a saída do presidente da Síria, Bashar al-Assad.

(Reportagem de Andrew Quinn)

Tudo o que sabemos sobre:
SIRIAEUAEMBAIXADA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.