EUA investigam possíveis ameaças de terrorismo no Natal

Há um ano, nigeriano tentou explodir avião; autoridades do Iraque alertam para planos da Al-Qaeda

Reuters e Associated Press

16 de dezembro de 2010 | 16h41

WASHINGTON - As autoridades de combate ao terrorismo estão investigando possíveis ameaças terroristas da Al-Qaeda contra os EUA e a Europa durante os feriados de fim de ano, informaram nesta quinta-feira, 16, fontes do governo americano. Não foram encontrados indícios de planos de ataques até o momento.

 

Veja também:

especialEspecial: As franquias da Al-Qaeda

 

O FBI (polícia federal americana) e o Departamento de Segurança Doméstica alertaram forças policiais locais para agir contra quem apresentar comportamento suspeito e para alterar constantemente as medidas de segurança para interferir em qualquer plano de ataque terrorista.

 

No ano passado, um nigeriano tentou detonar um avião em um aeroporto dos EUA no dia de Natal, mas o ataque foi frustrado. O terrorista foi detido e revelou ter recebido treinamento da Al-Qaeda no Iêmen.

 

No último sábado, outro terrorista detonou duas bombas em Estocolmo. Além do suicida, que morreu, ninguém se feriu. Um grupo ligado à Al-Qaeda afirmou que o ataque na Suécia "foi apenas o primeiro" de uma série que a organização planeja.

 

Informações

 

O general iraquiano, Dhiya Hussein, chefe anti-terrorismo do Ministério do Interior, afirmou que um militante capturado, pertencente a uma célula da Al-Qaeda no Iraque, revelou planos da organização de atacar os EUA e a Europa durante interrogatórios. O insurgente estava entre um grupo de 39 homens detidos em uma ação contra importantes militantes, segundo ele.

Autoridades disseram que as operações, realizadas no mês passado e que levaram à prisão de um dos maiores comandantes da Al-Qaeda no Iraque e de seus líderes na província de Anbar, foram um duro golpe à célula local do grupo, o Estado Islâmico do Iraque.

"Um dos (homens) confessou que o grupo realizará ataques dentro dos EUA, do Reino Unido e da Europa", disse Hussein. "Eles estavam fazendo preparativos para este objetivo".

Ele acrescentou que o Iraque informou os países mencionados, e disse que interrogadores norte-americanos já conversaram com o insurgente.

"Estamos cientes do anúncio... sobre supostos planos terroristas para ataques contra os EUA e a Europa", disse Kelli Lane, porta-voz do Exército americano em Bagdá. "A missão dos EUA no Iraque irá trabalhar de perto com o governo do Iraque e nossos parceiros para ajudar a determinar a extensão de qualquer ameaça potencial."

Tudo o que sabemos sobre:
EUAplanosterrorismoAl-QaedaIraque

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.