EUA não preparam ataque preventivo contra o Irã, diz militar

Almirante americano ressalta que aumento da retórica bélica de Washington não significa perspectiva a ofensiva

Efe,

12 de novembro de 2007 | 08h11

O Pentágono não prepara um ataque preventivo contra o Irã, apesar do aumento da retórica belicosa de Washington, de acordo com altas fontes dos Estados Unidos citadas nesta segunda-feira, 12, pelo jornal Financial Times. O almirante William Fallon, chefe do Comando Central, a cargo das operações militares no Oriente Médio, disse ao jornal que, enquanto o caso iraniano representar um "desafio", não há "perspectiva" de ataque. O militar ressaltou que os EUA não querem um confronto bélico e ressaltou que as histórias publicadas pela imprensa sobre a possibilidade de uma guerra em qualquer momento apenas atrapalham. Fallon afirmou que o objetivo é "conseguir mudar o comportamento iraniano", e insistiu em que um ataque "não é a primeira opção". No entanto, o almirante não descartou a possibilidade de um ataque em algum momento. Nos últimos meses, lembra o jornal econômico britânico, o presidente George W. Bush e seus mais altos funcionários fizeram declarações que alimentaram as conjeturas de que os EUA se preparavam para lançar um ataque contra o Irã por causa de seu programa de desenvolvimento nuclear. Fallon não quis comentar se a retórica dos EUA alimentava as conjeturas, mas disse que, "geralmente, os comentários belicosos não ajudam". De acordo com fontes militares consultadas pelo Financial Times, o Pentágono acredita que atacar o Irã neste momento seria um erro estratégico, já que alguns ataques aéreos limitados poderiam inclusive criar um conflito maior.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIrãprograma nuclearPentágono

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.