EUA pedem 'ações concretas' para buscar paz no Oriente Médio

Em reunião com presidente egípcio, George Mitchell cobrou a colaboração de todas as nações da região

Efe,

17 de setembro de 2009 | 12h56

O enviado especial dos EUA para assuntos do Oriente Médio, George Mitchell, pediu nesta quinta-feira, 17, "ações concretas" das nações da região para criar um ambiente positivo que permita a retomada do processo de paz entre Israel e Palestina.

 

A chamada foi feita em entrevista coletiva, depois que Mitchell se reuniu no Cairo com o presidente do Egito, Hosni Mubarak, como parte de uma viagem pela região na qual tenta retomar o processo de paz.

 

Segundo Mitchell, o governo dos EUA "pede às partes, a Israel, aos palestinos e aos países árabes, que assumam suas responsabilidades a favor da paz, através de ações concretas que permitam criar um contexto positivo para relançar as negociações".

 

Mitchell, que esteve acompanhado pelo ministro de Assuntos Exteriores egípcio, Ahmed Aboul Gheit, disse que tinha mantido conversas "excelentes" com Mubarak. O enviado afirmou que também se reuniu com o chefe dos serviços de inteligência, general Omar Suleiman, que costuma atuar como mediador nas negociações dos diferentes grupos palestinos a favor de sua reconciliação.

 

"Durante estas reuniões - acrescentou Mitchell - insistimos nos novos compromissos do Egito e dos EUA para conseguir uma paz completa no Oriente Médio, que inclui acabar o conflito entre palestinos e israelenses a partir da solução de dois Estados".

 

Mitchell chegou ao Cairo na noite da quarta-feira, em uma viagem que já o levou a Israel, Cisjordânia e Líbano, e que inclui uma escala na Jordânia e outra visita a Jerusalém.

 

O ministro de Assuntos Exteriores egípcio disse que o enviado americano informou a Mubarak sobre suas últimas gestões nas anteriores etapas de sua atual viagem. Segundo Aboul Gheit, Mitchell mencionou ao presidente egípcio seus esforços para convencer israelenses e palestinos a retomar o processo de paz, que está estagnado desde o ano passado, sem reflexos de que nenhum deles queira voltar à mesa de negociações.

 

Aboul Gheit acrescentou que também foram abordados na reunião os contatos que poderão ser mantidos nos próximos dias durante a Assembleia Geral da ONU. Segundo o ministro egípcio, Mitchell deve viajar nas próximas horas a Amã para se reunir com o rei Abdullah II da Jordânia, antes de retornar na sexta-feira a Jerusalém, para um novo encontro com o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.