Efe
Efe

EUA pedem que países árabes normalizem vínculos com Israel

Entre as nações do Oriente Médio apenas a Jordânia e o Egito mantêm relações diplomáticas com o país

Efe,

27 de julho de 2009 | 12h06

O enviado especial da Casa Branca para o Oriente Médio, George Mitchell, convocou nesta segunda-feira, 27, os líderes árabes a adotarem "passos sérios" que conduzam à normalização de seus vínculos com Israel.

 

Mitchel fez a declaração antes de se reunir em Cairo com o presidente egípcio, Hosni Mubarak, em um giro pela região que já o levou à Síria e Israel. "Peço aos líderes árabes que adotem passos sérios para a normalização das relações com Israel, mas não estamos pedindo a normalização total nesta etapa do processo de paz", afirmou.

 

Entre os países da região, somente a Jordânia e o Egito, dois dos representantes do grupo de países árabes moderados, mantêm vínculos diplomáticos com Israel.

 

O estabelecimento de relações entre os países árabes e Israel é um dos pontos da Iniciativa Árabe para a Paz de 2002, que incluiu, entre outros pedidos, a retirada israelense dos territórios palestinos ocupados desde 1967 e o estabelecimento de um Estado palestino, passos que ainda não foram cumpridos.

 

"A normalização das relações é uma parte importante de nossos esforços para alcançar uma paz completa", afirmou Mitchell durante coletiva de imprensa no palácio presidencial.

 

Durante sua reunião com Mubarak, Mitchell disse que havia falado com ele sobre o resultada da visita que fez neste domingo, 26, a Damasco, onde conversou com o presidente sírio, Bachar al Asad, sobre a possibilidade de reatar as conversações indiretas entre Israel e Síria, com mediação Turca, suspensas desde o começo do ano.

 

Em suas declarações, Mitchell disse que após ser designado para o cargo pelo presidente americano, Barack Obama, o governante disse que uma de suas prioridades era alcançar a paz no Oriente Médio. "E isto é o que está acontecendo", acrescentou.

 

Mitchell, que antes de chegar ao Cairo também visitou o ministro israelense da Defesa, Ehud Barak, anunciou que voltará a Israel na terça-feira, 28, para se reunir com o primeiro ministro do país, Benjamin Netanyahu.

 

O enviado especial americano qualificou como "construtivo e transparente" seu diálogo com Mubarak, e disse que pacificar o Oriente Médio representa "a melhor forma para ajudar as pessoas da região a alcançar a paz e a prosperidade".

 

Ele também disse que, como parte deste giro, visitará a pequena ilha de Bahrein, onde se reunirá com o príncipe herdeiro, Salman bin Hamed al Jalifa. Recentemente, al Jalifa chamou os líderes árabes a conversarem com Israel como parte da estratégia para conseguir a paz na região.

Tudo o que sabemos sobre:
George MitchellHosni Mubarak,

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.