EUA podem atrasar retorno de tropas do Iraque

Secretário de Defesa apóia pausa em futuras retiradas de soldados após a saída de 30 mil prevista para julho

Agências internacionais,

11 de fevereiro de 2008 | 09h49

O secretário de Defesa dos Estados Unidos, Robert Gates, afirmou que é a favor de uma "pausa" na retirada de soldados americanos do Iraque após o retorno de mais de 30 mil militares, previsto para o meio do ano.   Segundo a BBC, o Pentágono pretende reduzir o número de militares no Iraque de 20 para 15 brigadas. Uma delas já foi retirada e outras cinco dever voltar para casa até julho. Washington mantém atualmente cerca de 158 mil soldados no país.   Gates chegou no Iraque no domingo, em uma visita não anunciada, e após a reunião com o comandante das Forças Armadas dos EUA no Iraque, general David Petraeus, o secretário afirmou que ele queria um "prazo para a retirada".    Anteriormente, Gates afirmou que pelo menos 10 brigadas deixariam o país até o final deste ano.  "Acho que a idéia de um breve período de consolidação e avaliação provavelmente faz sentido", disse Gates a jornalistas em Bagdá nesta segunda-feira, 11, apoiando publicamente pela primeira vez uma idéia aventada pelo comandante militar dos Estados Unidos no Iraque, general David Petraeus. Questionado sobre a duração desse período, Gates respondeu: "Essa é uma das coisas sobre as quais ainda estamos pensando."   Petraeus disse no final de janeiro à CNN que seria necessário algum tempo para que "as coisas se assentem um pouquinho" depois da redução inicial, o que levou a especulações de que ele gostaria de manter pelo menos 130 mil soldados no Iraque durante o segundo semestre.   Gates, que chegou a Bagdá depois de comparecer a uma conferência sobre segurança na Alemanha, disse no domingo que iria parabenizar líderes iraquianos pelos progressos rumo à reconciliação política, como a aprovação da lei que permitirá a ex-membros do partido Baath, de Saddam Hussein, recuperarem seus empregos no governo e nas Forças Armadas.   A segurança melhorou desde que as forças adicionais de 30 mil soldados foram totalmente empregadas, em junho, permitindo que os EUA começassem a retirar alguns soldados do país.

Tudo o que sabemos sobre:
IraqueEUARobert Gates

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.